Links Vídeos

Loading...
Cidade de Colombo, região metropolitana de Curitiba. Vive momento político idêntico aos anos eleitorais anteriores. As disputas municipais rumo ao comando da Prefeitura, não se altera. Nomes tradicionais do meio político, se apresentam como alternativas para os vários solucionar os problemas de infraestrutura e de politicas universais que, os mesmos atores hoje colocados como alternativas, fazem ou fizeram parte desse contexto.
Vamos esperar que haja renovação no legislativo expurgando a incapacidade de Câmara Municipal, como contra ponto a inercia do Executivo Municipal. 

Bolsas voltam a despencar com temor da crise da dívida

A Bolsa de Tóquio encerrou a sessão de sexta-feira em queda expressiva de 3,72%, em consequência do nervosismo generalizado com o crescimento mundial e a crise da dívida dos países ricos, agravadas pela valorização do iene.
O índice Nikkei 225 perdeu 359,30 pontos, a 9.299,88 unidades.
Durante a sessão, o Nikkei chegou a registrar queda de mais de 4% e o menor nível desde o terremoto de 11 de março.
As outras praças asiáticas seguiram a tendência. Em Hong Kong, a queda do índice Hang Seng foi de 4,29%.
Seul perdeu 3,70%, Sydney 4% e Taipé 5,58%.
As principais Bolsas da Europa também registravam quedas na manhã desta sexta-feira, após os resultados ruins registrados na quinta-feira, atribuídos pelos investidores às inquietantes perspectivas da economia mundial e à crise da dívida na Europa.
O índice Dax de Frankfurt registrava queda de 1,37%, o Footsie-100 de Londres perdia 1,75% e o CAC 40 de Paris 0,20%.
Milão perdia 0,47% e Madri, que chegou a registrar leve alta, operava em queda de 0,18%.





Como funciona as campanhas políticas

Os candidatos usam os mais variados recursos para serem eleitos, utilizam de truques para conquistar o voto do eleitor. Eis alguns:

• Candidatos fazem divulgar previsões do além (videntes, astrólogos, mensagens de guias e outros) para passar a imagem de vitoriosos – essa jogada tem especial efeito em pessoas místicas, o que não falta em nosso país.

• Existe um truque por trás das guerras de acusações. Mesmo que a acusação não seja verdadeira, provoca a suspeita. É fácil assim inventar denúncias. Milhões de eleitores estão abertos a acreditar. Basta um indício, e pronto. A vítima da denúncia reage. Mas a polêmica já está armada e a dúvida instalada. Quando ele conseguir explicar e provar inocência, a eleição passou. Há uma antiga regra da política que estimula os tiroteios verbais. É um ditado: “O que importa não é o fato, mas a versão do fato”. Ou seja, o que importa não é o que realmente aconteceu, mas o que as pessoas acham que aconteceu.

• Um dos antigos truques de campanha é um candidato utilizar outra pessoa que não está ligado à ele para fazer ataques de baixo nível, assim quem faz o jogo sujo é outra pessoa e o candidato não fica com sua imagem comprometida.

• Revelações da vida pessoal do adversário. Durante as eleições, os candidatos buscam informações comprometedoras sobre seus concorrentes. E aí vale tudo: vida sexual, familiar, comercial. Qualquer coisa que tire votos. Podem até não usar as informações, mas elas servem como escudo. Nas campanhas, os candidatos tentam dividir o mundo entre os bons e os maus, o que é uma simplificação grosseira. Não existe uma pessoa que seja totalmente boa ou totalmente má. Todos têm defeitos e qualidades.

• Tem candidatos que assumem a condição de vítima porque ela é apreciada pela maioria das pessoas e rende simpatias populares.

• Candidatos a deputado ou senador prometem coisas que não estão ao alcance de seus futuros cargos. O papel de deputados e senadores é fazer leis e não obras. No máximo eles podem alterar o orçamento, mesmo assim uma pequena parte dele. Portanto, são falsas as promessas de deputados e senadores de construir hospitais, escolas, acabar com o analfabetismo, aumento de salário, baixar a inflação, geração de emprego e etc.

• Utilização da emoção é um truque antigo e certeiro. Tem muitos candidatos que apelam para a emoção dos eleitores e acabam conseguindo muitos votos.

• O salvador da pátria. A imensa maioria dos brasileiros é pobre e espera soluções imediatas para suas angústias e neste contexto um salvador da pátria é o que se espera. O salvador da pátria promete o paraíso, mas depois de eleito, pede paciência e começa a colocar culpa no seu antecessor que deixou os cofres vazios.

JCPR
Sociologia Politica - UFPR

PEDROSO denuncia – Crime ambiental na região leste do Paraná

As curvas dá enjôo, mas o desmatamento da mata atlântica para o plantio de pinus... dá nojo.


Em visita por Adrianópolis, Tunas do Paraná e Bocaiuva do Sul, PEDROSO se vê com um cenário alarmante de descaso das autoridades ambientais do Paraná e a atitude criminosa das empresas que arrasam a mata atlântica para promover o plantio do pinus.
Pra quem não sabe, o pinus elliottii, também conhecido como pinheiro americano, é uma espécie de árvore bio-invasora. De acordo com a UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina, o pinus é a mais agressiva planta invasora do globo.
As empresas devastam de maneira avassaladora os topos dos morros, o entorno das nascentes, córregos, rios, banhados, as encostas íngremes e os fundos de vales. Plantam a espécie invasora que toma o espaço da vegetação nativa e da restinga, ocasionando o que se chama de fenômeno de contaminação biológica, invasão que tira o espaço das espécies nativas e promove mudanças no ecossistema, impedindo o surgimento de outras espécies e expulsando a fauna. Estas empresas promovem uma verdadeira destruição ambiental, que arrancam a mata atlântica e queimam a vegetação não respeitando nem as áreas legalmente protegidas de preservação permanente.
PEDROSO considera que é necessário colocar um limite nestas empresas esganadas, inclusive com intervenção federal, pois não dá pra concordar que as autoridades locais não estejam vendo esta grotesca barbaridade.

Pitanga - O centro do Paraná

Na última visita à Pitanga, PEDROSO conversou com lideranças do município e pôde sentir um pouco do carinho e da hospitalidade pitanguense.

Juntamente com o Luis Telles, o Silvio Gomes, a Lucélia do Carmo, o Carlos Schmidt, o Vermeinho, o Lori, o José Pontes, o Carlito e o Antonio Piedade, conversaram longamente sobre os rumos da política paranaense e o enorme potencial do município de Pitanga.
Para quem não sabe, a exemplo de Brasília, certa feita um ex-governador queria transformar Pitanga na capital paranaense. Isto mesmo! A cidade de Pitanga está situada bem no centro geográfico do Estado, por isso é considerada o coração do Paraná.
Se não bastasse, Pitanga com seus rios, cachoeiras e lagos têm um potencial incrível para o eco-turismo de lazer e com seu sol abundante é uma bela praia para a captação de energia solar.
Pitanga deve se orgulhar por ser um dos maiores produtores de milho do estado, sem esquecer obviamente, a Festcentro uma das melhores festas do país com data marcada no calendário turístico paranaense. Com tudo isso, realmente Pitanga é um diamante a ser lapidado, pois oferece um rol incrível para boas oportunidades de negócios.
Mas, Pitanga também tem lá seus problemas. Ruas esburacadas e sem calçadas, constantes enchentes em diversos pontos da cidade, falta de moradia, falta opções de lazer e cultura à população, mesmo com suas riquezas naturais e também, o velho problema que afeta grande parte das famílias paranaenses, o vício e a dependência química do álcool e de outras drogas.
Claro, que o desafio é grande... É preciso mais investimentos públicos e privado, é preciso limpar os rios, corrigir a infra-estrutura urbana, melhorar as unidades de atendimento médico e dar um solavanco nos munícipes para que possam valorizar, apoiar e investir mais em Pitanga. O desafio passa justamente pela necessidade de transformar esta linda cidade, acolhedora e maravilhosa numa cidade pólo, uma cidade mãe para as outras cidades circunvizinhas que dependem dela. Ou seja, oferecer o que de melhor Pitanga têm a oferecer.

O problema do transporte público e da acessibilidade

Em visita por Guarapuva e Região, PEDROSO conversou com moradores e lideranças sobre os principais problemas da cidade.
Um dos que mais chamaram a atenção foi com relação as dificuldades que as pessoas com deficiência enfrentam no dia-dia, na cidade de Guarapuava.

Os problemas de locomoção é um dos piores, as ruas possuem rampas, mas muitas vezes em frente a rampa tem um poste ou uma placa de trânsito. Nas calçadas existem muitos buracos que impedem as pessoas de locomoverem e transitar livremente. Isto não é problema só para os cadeirantes, mulheres com carinho de bebê, pessoas que fizeram cirurgia ou sofreram algum tipo de acidente e estão temporariamente com dificuldades de locomoção também sofrem com o problema, além é claro, dos idosos. O transporte coletivo também não é adequado para o atendimento das pessoas, outro problema muito sério, porque via de regra, somente os mais pobres e os trabalhadore, utilizam os ônibus do transporte público.
PEDROSO sabe que o problema da acessibilidade e do transporte público não é um privilégio só de Guarapuava. Quase que a totalidade das cidades do Estado do Paraná não tratam adequadamente este assunto, um verdadeiro desrespeito ao cidadão paranaense. Parece que os municípios foram projetadas só para se andar de carro. É preciso mudar a mentalidade dos prefeitos e fazer com que as cidades sejam pensadas para o bem comum de todos e todas.